Histórias que as pessoas gostam de ouvir

A vida é tão dura e angustiante que as pessoas capazes de criar romances ou invocar fantasias são como oásis no meio do deserto: todos correm até lá!
Note:
Um homem cego estava na calçada sentado pedindo esmola. Ao seu lado tinha uma latinha e uma placa: " Sou cego, me ajude". Ajude o pobre cego". Muitas pessoas passavam por lá e poucas lhe davam algum vintém.
Até que um dia, um homem foi até ele, virou a placa e escreveu uma outra frase....
Depois daquela mudança,  a quantidade de esmolas cresceu de forma curiosa.
No final do dia, quando o homem que tinha virado a placa passou por lá novamente, o cego perguntou:
- O que você escreveu na placa?
Ao que ele respondeu:
- "Hoje é primavera e eu não posso vê-la"
Definitivamente, quando você coloca o interlocutor no lugar de quem está vivendo a história, você tem o poder de transformar atitudes.


EMPREENDER É SONHAR - SEBRAE

Ontem, dia 05.10.19, foi um dia de glória para nosso olhar.
Estivemos na Feira do Empreendedor, no Pavilhão de Exposições do Anhembi com uma história-treinamento para empreendedores e futuros empreendedores.
Criamos uma história inspirada no livro "O Fator Sorte" de Max Ghunter.
Depois de anos de pesquisa, onde estudou mil pessoas muito sortudas e muito azaradas, o autor  revela, em O fator sorte, os princípios científicos da sorte. 
Explica como qualquer um pode desenvolvê-los e, assim, alcançar mudanças positivas e significativas em sua vida pessoal e profissional. 
O ponto máximo da apresentação foi quando uma garota em seus onze anos veio nos cumprimentar e compartilhar suas experiências como empreendedora:  quando ela observou a "febre" inicial das crianças querendo brincar com slime (aquela massa pegajosa que esticamos para aliviar o estresse), ela passou a produzi-los em casa para vendê-los na escola. Parte do dinheiro arrecadado foi direcionado para seus investimentos para o futuro (ela quer ser veterinária e abrir uma clínica para cuidar de pets).
Nosso coração transbordou de alegria. 
É gosto saber que plantamos sementes naquelas horas que estivemos ali.
Enfim, "Se você pode sonhar, você pode realizar"
Nossos agradecimentos à Ana Maria, que foi a catalisadora deste espaço, à Fabi, da Gira que nos contratou, e  à  parceira incansável Mari,  do B4rco, cujos três ultimos dias foram de criação, entusiasmo e boas conquistas!
Beijocas minhas 
Denise Cruz - Grupo Parampará




Recreio nas Férias

Que delícia poder participar das  férias das crianças trabalhando!
Quando a gente faz o que gosta férias é sempre motivo para mais trabalho, uhuuu!
E nós, do Grupo Parampará, estamos com a agenda assim no Recreio nas Férias:







O vaso de porcelana

O Grande Mestre e o Guardião dividiam a administração de um Mosteiro budista. Certo dia o Guardião morreu e foi necessário substituí-lo. O Grande Mestre reuniu todos os discípulos para escolher quem teria a honra de trabalhar diretamente a seu lado.
– Lembrem-se – disse o Grande Mestre – que a função do Guardião é manter a união e o amor entre todos os membros da nossa comunidade. Por isso, apresento-lhes um problema. Aquele que primeiro o resolver será o novo Guardião do Templo.
Terminado seu curto discurso, colocou um banquinho no meio da sala e sobre ele um vaso de porcelana caríssimo, com uma rosa vermelha que o adornava.
– Este é o problema – disse o Grande Mestre. – Resolvam-no!
Os discípulos contemplaram perplexos o “problema”. Viram os desenhos sofisticados e raros da porcelana, a fragrância e beleza da flor… Que representava aquilo?… O que fazer?… Qual seria o enigma? Passou o tempo sem que ninguém acertasse o que fazer a não ser ficar olhando para o “problema”. Finalmente um dos discípulos levantou-se, olhou para o Mestre e para os demais alunos, caminhou decidido até o vaso e o jogou no chão, quebrando-o em mil pedaços.
– Finalmente alguém conseguiu!!! – exclamou o Grande Mestre. – Começava a duvidar da formação que lhes demos em todos estes anos. Você é o novo Guardião.
Quando o aluno voltou ao seu lugar, o Grande Mestre explicou:
– Eu fui bem claro: disse que vocês estavam diante de um “problema”. Não importa o belo e fascinante que seja um problema: deve ser eliminado. 

A Bic e a Mont Blanc

Ambas escrevem
Uma é praticamente sinônimo de categoria e você encontra quase em qualquer esquina (porque hoje em dia as pessoas nem escrevem mais, teclam)
A outra é  sinônimo de estilo (apesar das falsificações)
Ambas cumprem a mesma função: registrar uma ideia, comunicar.
Uma custa R$ 3,00 a outra pode custar R$ 13.000,00 ou mais....
Qual a diferença?
Uma é comum
A outra conta uma história.



O poder das narrativas e o pré conceito.

Impressionante como algumas marcas conseguem compreender o cerne da questão e prendem sua atenção até o final com uma narrativa já construída em sua cabeça. E mais! Elas te surpreendem no final e você se emociona.
Triste é que parece que o vídeo saiu do ar e o mais curioso é que lembramos da história mas não lembramos da marca, então, já que não tem vídeo, permitam-me contar a história:
Uma moça negra jovem e bonita começa a narrar: "Minha mãe sempre me orientou a estudar, sempre disse que já que éramos pobres, o único jeito para sair daquela situação era estudando.... e eu estudei.
Minha mãe também sempre cuidou das crianças (e aparece a cena da mãe negra sendo babá em uma casa de uma mulher muito rica). O tempo foi passando e eu achei que tudo fosse mudar, mas não mudou, eu continuo fazendo o que minha mãe fazia, cuidando de crianças (abre a cena, foco na mulher negra jovem cuidando de crianças e parece que ela é babá em uma casa, mas não, ela é a médica pediatra!
Incrível. Surpreendente. A história emociona e te deixa de queixo caído, mas não lembro a marca!
Enfim, isso é só para comprovar o poder das narrativas.


Virada Cultural com Grupo Parampará

Domingo, 19.05.19, às 12h em ponto tem história em cordel legal para dedeu, com uma menina que tem olhos do céu. Grátis! Para crianças de 0 a 100 anos.


Histórias em Cordel no Itaú Cultural

Hoje, dia 05.05.19 tem histórias em cordel no Itau Cultural. É de graça e é uma graça.
Tem músicas, adivinhas, cantigas e uma história muito divertida.

Serviço: Itaú Cultural - Avenida Paulista, 149, São Paulo-SP - 12h - Grátis, Livre.