Primeiro Parágrafo

Nossos trabalhos já haviam começado antes de nos (re)encontrarmos com esse poema.
Já sabíamos que queríamos contar histórias, as três de mãos dadas. Cecília entrou para nos dar um nome e um lugar - e para falar de criança para criança, recuperamos esse poema que, em nossas infâncias, povoou um mundo inteiro.


As Meninas

Arabela
abria a janela.

Carolina
erguia a cortina.

E Maria
olhava e sorria:
"Bom dia!"

Arabela
foi sempre a mais bela.

Carolina
a mais sábia menina.

E Maria
Apenas sorria:
"Bom dia!"

Pensaremos em cada menina
que vivia naquela janela;
uma que se chamava Arabela,
outra que se chamou Carolina.

Mas a nossa profunda saudade
é Maria, Maria, Maria,
que dizia com voz de amizade:
"Bom dia!"


Cecília Meireles, Ou Isto ou Aquilo, Nova Fronteira.

Nenhum comentário: