Manoel de Barros e Bartolomeu Campos de Queirós

"Penso que não tive escolha
Fui escolhido e gostei da escolha
Faço o que sonho
Faço o que gosto
Sou um pouco irresponsável
com os passarinhos, isto seja:
Sou livre
Amo a palavra"

Manoel de Barros

“As palavras são portas e janelas. Se debruçarmos e reparamos, nos inscrevemos na paisagem. Se destrancarmos as portas, o enredo do universo nos visita. Ler é somar-se ao mundo, é iluminar-se com claridade do já decifrado. Escrever é dividir-se. Cada palavra descortina um horizonte, cada frase anuncia outra estação. E os olhos, tomando das rédeas, abrem caminhos, entre linhas, para viagens do pensamento. O livro é passaporte, é bilhete de partida”.

Bartolomeu Campos de Queirós

Um comentário:

Cristina Sá literaturainfantilejuvenil disse...

MENINAS do GRUPO PARAMPARÁ,
OLÁ!
NESTE FIM DE NOITE, RECEBI DE
VOCÊS DOIS PRESENTES: OS TEXTOS
MANOEL DE BARROS E DE BARTOLOMEU
CAMPOS DE QUEIRÓS.
OBRIGADA
CRISTINA SÁ DO BLOG:
http://cristinasaliteraturainfantilejuvenil.blogspot.com