O poder das narrativas e o pré conceito.

Impressionante como algumas marcas conseguem compreender o cerne da questão e prendem sua atenção até o final com uma narrativa já construída em sua cabeça. E mais! Elas te surpreendem no final e você se emociona.
Triste é que parece que o vídeo saiu do ar e o mais curioso é que lembramos da história mas não lembramos da marca, então, já que não tem vídeo, permitam-me contar a história:
Uma moça negra jovem e bonita começa a narrar: "Minha mãe sempre me orientou a estudar, sempre disse que já que éramos pobres, o único jeito para sair daquela situação era estudando.... e eu estudei.
Minha mãe também sempre cuidou das crianças (e aparece a cena da mãe negra sendo babá em uma casa de uma mulher muito rica). O tempo foi passando e eu achei que tudo fosse mudar, mas não mudou, eu continuo fazendo o que minha mãe fazia, cuidando de crianças (abre a cena, foco na mulher negra jovem cuidando de crianças e parece que ela é babá em uma casa, mas não, ela é a médica pediatra!
Incrível. Surpreendente. A história emociona e te deixa de queixo caído, mas não lembro a marca!
Enfim, isso é só para comprovar o poder das narrativas.


Nenhum comentário: